São Francisco de Paula entra em lockdown, medidas passam a valer na segunda-feira

0
108
Publicidade

De acordo com Decreto Municipal 2076/2021, publicado nesta sexta-feira (12), o Município de São Francisco de Paula entra em lockdown, com medidas passando a valer a partir de 00h da próxima segunda (15). O gatilho de disparo para acionamento do lockdown ocorreu no Boletim Epidemiológico desta sexta (12), que demonstrou 202 casos ativos. A regra para acionamento era a demonstração de 200 casos ativos ou 40 pessoas internadas. O lockdown segue até que o Boletim Epidemiológico aponte que casos ativos foram reduzidos a 175 casos e 35 pessoas internadas. 

A partir de segunda, a circulação em espaço público sem justificativa fica proibida, mercados, açougues e similares poderão funcionar apenas por tele-entrega, assim como restaurantes, lancherias e padarias. Farmácias poderão operar de forma presencial, proibindo a venda de perfumaria. Hotéis ficarão proibidos de admitir novos hóspedes. O comércio, em geral, permanecerá fechado, sem a possibilidade de tele-entrega. Estabelecimentos que vendem alimentos para animais, assim como medicamentos, poderão funcionar por tele-entrega. A construção civil permanece fechada. A indústria em regra pode funcionar com capacidade de 50% dos funcionários, com exceção da indústria alimentícia que pode funcionar com capacidade de 75%. 

Publicidade

Os serviços no geral também permanecem suspensos, como faxineiros, babás, cozinheiros, motoristas, assim como serviços de higiene pessoal. Serviços de advocacia e contabilidade permanecem apenas com atendimento remoto. Para informações mais detalhadas, a recomendação é a leitura do Decreto na íntegra. 

A administração municipal passa a funcionar somente com atendimento remoto. O Prefeito Marcos Aguzzolli destaca que foi evitado ao máximo tomar medidas tão extremas, mas que o momento exige decisões firmes. “O momento é crítico. Evitamos a todo custo o fechamento total, mas agora é hora de proteger vidas. Nós estamos tendo coragem de fazer o necessário para proteger a nossa gente”, completou. 

Publicidade