13.4 C
Canela
terça-feira, maio 21, 2024
spot_imgspot_img
spot_img
spot_img
spot_imgspot_img
InícioCulturaFeirinha da Comunidade Empreendedora de Canela não deverá ocorrer em janeiro

Feirinha da Comunidade Empreendedora de Canela não deverá ocorrer em janeiro

Publicidade

CANELA – A presidente da Comunidade Empreendedora de Canela (CEC), Richelly Garcia Porto, informou que neste mês de janeiro não será realizada a feirinha nos espaços públicos como ocorreu no ano passado. No dia 14 de janeiro a feira estava prevista para ocorrer na Rua Baden Powel, junto ao Centro de Feiras. Já no dia 27, ocorreria na Praça João Corrêa.

Conforme Richelly, “ em um ano de criação do projeto, nós ajudamos inúmeras famílias com locais para exporem seus produtos em feiras, palestras, cursos gratuitos, ajudamos vários empreendedores a se formalizarem, fizemos a Rua Cultural de Canela em Outubro, Novembro e Dezembro onde ajudamos várias pessoas dentro e fora da associação, artistas, fomentando a cultura, o turismo e o empreendedorismo, além de ter trazido de volta a carteira do artesão para Canela.Tudo que queremos é um espaço para que possamos fazer nossas feiras, que é nosso direito”.

Publicidade

Embora lamente a não realização da Feirinha neste mês, a CEC, ainda planeja realizá-la durante o ano. Há inclusive patrocínio de uma data para brinquedos infláveis gratuitos para as crianças, será  um evento solidário, organizado por uma associação sem fins lucrativos que apoia microeconomias da cidade. 

Publicidade

Em nota, Richelly mencionou os motivos que levaram a essa decisão. Confira na íntegra o conteúdo da publicação. 

“Informamos aqui que devido à morosidade nos processos, infelizmente não teremos feira neste mês de janeiro, pois as mesmas são feitas em espaços públicos, dos quais são necessários solicitar autorização de uso, tínhamos um calendário com a seguinte programação: 

  • 14 de Janeiro – Rua Cultural, na Rua Baden Powel
  • 27 de Janeiro – Tem Cultura na Praça, na Praça João Corrêa

Esclarecemos aqui que os documentos da primeira, foram enviados em outubro e da segunda em novembro, solicitando o uso de 1 vez ao mês em cada local, para que fossem feitas as feiras, em nenhum momento solicitamos dinheiro, apenas o uso do local, e que até a data de hoje 09 de janeiro não obtivemos resposta, mesmo fazendo contato direto com o Departamento de Cultura, onde foram recebidas ambas solicitações e encaminhadas para os trâmites burocráticos, também fizemos contato com o Secretário de Turismo e Cultura e recentemente, por duas vezes com o prefeito em exercício Jefferson, e nada foi feito.

Sentimos muito pela perda da oportunidade de aproveitamento do fim da temporada, e principalmente pelas famílias atendidas por esta associação e que serão prejudicadas por não poderem expor seus produtos, artesanatos reais da nossa cidade, enquanto outros produtos ilegais continuam a serem vendidos indiscriminadamente pela cidade, sem nenhuma interferência!

Reforçamos aqui o nosso compromisso com as microeconomias de Canela e continuaremos a buscar em 2024, oportunidades e apoio à essa classe tão importante para a economia local, assim como nosso desejo de que todos tenham um local fixo, digno e livre de intempéries para expor seus trabalhos para população local e para os turistas!

Atenciosamente, Richelly Garcia Porto, Presidente da Comunidade Empreendedora de Canela

O que diz a Prefeitura

A reportagem entrou em contato com Solange Aguiar, responsável pelo Departamento de Cultura. Segundo ela existem trâmites legais que são necessários seguir para que o espaço possa ser utilizado para os fins solicitados pela Comunidade Empreendedora de Canela. Solange explica que no ano passado foi realizado um Termo de Cedência dos espaços. No entanto, para este ano a Administração verificou que não poderia ser um Termo de Cedência por passar de 90 dias, sendo necessário um Decreto de Permissão de Uso.

Em 2023, foram três eventos (um em cada mês), que pela lei totalizam 90 dias. Já em 2024, o calendário do CEC prevê 12 feiras (uma em cada mês), o que seguindo a lei chega a 365 dias, ou seja, ultrapassa os 90 dias permitidos pelo Termo de Cedência.

Ainda segundo Solange, o processo está seguindo os trâmites legais, porém não esconde que essa tramitação pode ser morosa, pois quando saem dos departamentos e vão para a administração que não tem somente as solicitações deste Departamento para atender, existem prioridades com Saúde, Educação, Obras, Assistência Social, e demais secretarias a serem atendidas. 

Publicidade


Publicidadespot_img
Artigos Relacionados
Leia também
GRAMADO - Um grupo de costureiras voluntárias está se reunindo no Gabinete da Primeira-dama Jandira Tissot diariamente para confeccionar cobertores de soft e roupas de cama que são doados às famílias atingidas pelas chuvas em Gramado e nas cidades...
Empresa catarinense especializada em soluções para a construção civil abriu vagas para motorista de betoneira e operador de bomba nas cidades de Itajaí, Piçarras, Blumenau e Porto Belo. Candidatura pode ser feita no e-mail [email protected] ou pelo telefone (47)...
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Populares

Leia Mais

Iniciar conversa 👍
1
Seja bem vindo!
JD Canela
Olá! 😀
Quer receber notícias no seu WhatsApp?
Entre no nosso grupo de notícias.
Nos envie um "oi" e te enviamos o link para participar.