Projeto para loteamento popular em Canela é apresentado ao Executivo

104
O local deve abrigar em torno de 200 imóveis que serão comercializados com preços acessíveis para a população de baixa renda - Foto: Rafael Zimmermann
Publicidade

O vice-prefeito Gilberto Cezar participou de uma reunião, na tarde de quarta-feira (3), que tratou sobre o projeto para um loteamento popular em Canela. O encontro contou com o líder do governo na Câmara, vereador Alberi Dias (MDB), o secretário municipal de Meio Ambiente, Urbanismo e Mobilidade Urbana Jackson Müller, além de empresários.

A proposta é fazer o empreendimento em uma área de 30 hectares. O grupo de investidores pretende dotar o futuro loteamento com estação de tratamento, ruas pavimentadas, e garantir a sustentabilidade ambiental com energia solar, cisternas para captação de água da chuva, pisos permeáveis, entre outras especificações, segundo Müller.

Publicidade

O local deve abrigar em torno de 200 imóveis que serão comercializados com preços acessíveis para a população de baixa renda. Os lotes serão financiados pela Caixa Econômica Federal.

O empresário Manoel Chaves, da construtora e urbanizadora Ventana, disse ao vice-prefeito que entrará com projeto de viabilidade nos próximos meses na Prefeitura, para avaliação técnica. No encontro, estiveram presentes também Francisco Flach, da empresa P&R, e Milena Marinotto, do escritório Stopassola Advocacia.

Para Gilberto Cezar, projetos assim são muito importantes para Canela, dado o crescimento de várias áreas irregulares. A proposta da Prefeitura é abrir espaço para empreendimentos que supram demandas sociais, com foco em famílias de baixa renda e em vulnerabilidade social.

Publicidade

“A ideia de empreendimentos legalizados vai ajudar muito Canela no pós-pandemia em arrecadação de tributos e também colaborar com as famílias de baixa renda, que lutam para tentar buscar a sua casa própria, ajudando a diminuir o déficit habitacional de Canela, que tem 1.500 pessoas na fila”, diz o vice-prefeito.

Publicidade