Paralelo Festival reúne milhares de pessoas e marca a retomada dos eventos musicais em São Francisco de Paula

0
96
Publicidade

A terceira edição do Paralelo Festival marcou a retomada dos eventos musicais em São Francisco de Paula, na Serra Gaúcha. Com oitos shows gratuitos no último sábado (11) e domingo (12), o evento reuniu mais de 4 mil pessoas às margens do Lago São Bernardo, trazendo a diversidade que já é característica do festival, com estilos que passavam pela MPB, rock, jazz e blues.
 

Logo no começo da maratona musical, às 17h de sábado, o público já movimentava o local se acomodando em cadeiras de praia em frente ao palco e circulando pela estrutura montada neste ano, que também contou com praça de alimentação e espaços para descansar entre um show e outro. Quem deu início às apresentações foi o músico de Canela Pedro Jules, que surpreendeu quem ainda não o conhecia, interpretando seu repertório autoral e clássicos como Jumpin’ Jack Flash, dos Rolling Stones. O entardecer seguiu com o Quinteto Canjerana mostrando sua mistura única de som regional gaúcho com jazz e muita improvisação, unindo técnica, virtuosismo e sensibilidade.
 

Publicidade

Quem subiu ao palco em seguida foi o pianista brasileiro Ari Borger, garantindo uma das apresentações mais elogiadas desta edição. Acompanhado pelo seu trio, ele mostrou temas autorais, misturando blues, jazz e rock, e ainda interpretou grandes clássicos em versão instrumental. 

Publicidade

O encerramento da primeira noite ficou por conta do cantor, compositor e violonista João Bosco, que fez um show de duas horas, acompanhado por três dos maiores instrumentistas do Brasil na atualidade: o guitarrista Ricardo Silveira, o baixista Guto Wirtti e o baterista Kiko Freitas. No palco, o músico mineiro mostrou clássicos dos seus quase 50 anos de carreira – como Quando o amor aconteceJade e Kid Cavaquinho – além de novidades do seu novo álbum Abricó-de-Macaco, em uma apresentação que levou o público ao delírio, fazendo todo mundo cantar junto.

No domingo,  a programação começou um pouco mais cedo, às 16h, com a Cambará Slide Songs, banda que foi eleita em votação popular pelas redes sociais do festival para fazer o show de abertura, assim como Pedro Jules, que se apresentou no dia anterior. Depois, quem dominou a cena foi o Gabriel Grossi Quarteto, que mostrou clássicos de Nirvana a Michael Jackson em novas versões, totalmente instrumentais.

Atração internacional desta edição, a compositora norte-americana Nora Jean Wallace foi a penúltima artista a subir ao palco, arrancando aplausos da plateia ao apresentar standards do blues e seu repertório autoral. O encerramento ficou por conta de João de Almeida Neto & Luiz Carlos Borges, dois grandes nomes da cena musical gaúcha, mostrando seu tradicionalismo e experiência no palco.

Foram dois dias perfeitos. Recebemos um público menor do que na edição passada, um reflexo da pandemia que ainda estamos vivendo, mas percebemos o quanto o festival está consolidado. Estamos muito felizes em ver que o evento está se encaminhando para ser um dos principais de música do Rio Grande do Sul”, avalia Carlos Branco, curador e diretor artístico do Paralelo Festival.

A terceira edição do Paralelo Festival teve realização de Branco ProduçõesPolo ComunicaçõesSecretaria do Estado da Cultura do Rio Grande do SulSecretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo – Governo Federal, com patrocínio de Colombo MotorsJDR SolarSicrediKappersbergIcatu – Rio Grande Seguros e PrevidênciaBanrisulCorsan e Prefeitura Municipal de São Francisco de Paula.

Foto: Josiele Silva/PMSFP