Idosas estão há mais de duas semanas tentando restabelecer a energia elétrica cortada pela RGE

Por Alexandre Cruz

82
Publicidade

Há mais de duas semanas, duas idosas, mãe e filha, respectivamente com 87 e 66 anos, estão vivendo sem energia elétrica em sua residência. A casa, localizada no Bairro Jardim das Fontes, teve a energia desligada pela RGE por falta de pagamento, isso no dia 19 de fevereiro. Sendo que no mesmo dia, segundo as moradoras, o débito foi quitado e até o momento não conseguiram a religação.

Conforme os familiares, o pagamento é sempre realizado por débito em conta, sendo que a de janeiro acabou não sendo quitada por insuficiência de saldo e a titular acabou não percebendo. Já a de fevereiro foi quitada pelo débito em conta, deixando a anterior em atraso. No dia 19, funcionários da RGE realizaram o corte e informaram os moradores sobre o débito e destacaram que era preciso procurar a agência (localizada no Canelinha), para solicitar a religação.

Publicidade

O pagamento foi realizado no mesmo dia, mas como era uma sexta-feira, tiveram que procurar a agência somente na segunda-feira (22), a qual estava fechada, devido a condição da bandeira ser preta. Os familiares informaram ainda que por várias vezes tentaram contato via 0800 e também por um número de whatsapp. Por fim, conseguiram falar com um supervisor e a religação foi agendada para o dia 26 de fevereiro. O prazo venceu e a religação não foi realizada.

Publicidade

Novamente os familiares seguiram tentando contato com a RGE e, depois de várias tentativas, foram informados de que a religação seria no dia 3 de março. Novamente o prazo se esgotou e a família seguiu no escuro. A informação que obtiveram é de que o novo prazo ficou para o próximo dia 10. O Jornal Digital Canela entrou em contato com a assessoria de imprensa da RGE e a informação que obtivemos é de que iriam verificar a situação e dariam um retorno. No entanto, até o encerramento desta matéria não recebemos retorno.

Idosa necessita de cuidados 

A falta de energia elétrica vem causando muitos transtornos para os moradores. Na casa vive uma idosa de 87 anos que usa fraldas, toma medicamentos diários e necessita de cuidados especiais. Para preservar os alimentos, os mesmos estão sendo guardados na geladeira de uma vizinha. De dia a casa está ficando com portas e janelas abertas, mas à noite é preciso usar velas para não ficarem no escuro. A família demonstra muita insatisfação pelo serviço prestado pela RGE.