Fim da era “Dale” e o adeus do craque Diego Maradona

98
Cartola-nova-xandi
Publicidade

No início deste mês escrevi uma coluna falando sobre a extinção dos “camisas 10” e nesta semana tivemos a notícia de duas baixas. Uma delas se refere ao ídolo colorado D’Alessandro, o camisa 10 de muitas conquistas pelo clube. Mas, o Dale ainda não vai pendurar as chuteiras, apenas encerrou seu ciclo no Inter. A segunda, ao eterno craque Argentino, Diego Maradona, um legítimo camisa 10 e que agora estará dando dribles no céu.

Me lembro que quando ví Dale nos seus primeiros jogos pelo Colorado, fiquei com receio. Seria mais um argentino daqueles que adoram uma confusão e que nada acrescentam ao time. Aos poucos fui percebendo que ele brigava sim, mas sempre em defesa do clube, não aceitava desaforo e foi peça fundamental de um time vencedor. Esteve presente nas maiores glórias recentes do Inter. O momento atual não é dos melhores e nem mesmo o rendimento de Dale tem sido. No entanto, sua história está consolidada no clube. Além disso, fora de campo sempre esteve engajado em várias campanhas sociais e demonstrou ser uma baita personalidade. Enfim, a torcida Colorada só resta agradecer a tudo que o gringo fez por todo a nação vermelha.

Publicidade

O que dizer de Maradona, gênio, polêmico, carrasco. Isso tudo e mais ainda. Foi um jogador estraordinário dentro das quatro linhas, consagrado por lances geniais. Foi carrasco do Brasil e de tantos outros adversários. Mesmo quando era jogador e após pendurar as chuteiras sempre foi polêmico e de personalidade forte. Amado por muitos e odiado por outros. Mas no meio esportivo, não há um clube no mundo que não gostaria de ter ele como seu camisa 10. Embora se foi cedo (60 anos), seus dribles ficarão eternamente na memória de quem teve a oportunidade de assistir e no Youtube para as futuras gerações.

Publicidade

Quanto a nós, amantes de um grande jogo de futebol, o que nos resta é torcer para que, em um campinho de terra batida que ainda resista em algum lugar, surja novamente um camisa 10. E assim manter esta tradição que aos poucos está sumindo dos gramados.