Ginásio da Vila Olímpica já apresenta problemas e é alvo de vandalismo

49
Publicidade

Inaugurado há menos de um mês, o Ginásio Poliesportivo que integra o Complexo de Esportes e Lazer da Vila Olímpica da Várzea Grande apresenta vários problemas estruturais. Piso com várias rachaduras, pintura que desprende apenas com o toque, bolhas nas quadras, tubulação exposta, acabamento dos pisos dos vestiários quebrados, espaços inacabados e se não bastasse tudo isso, o local está sendo alvo de vandalismo. O cenário foi verificado na manhã desta quinta-feira, dia 14, durante vistoria técnica da Secretaria de Governança e Desenvolvimento Integrado em conjunto com a Secretaria de Esportes.

O secretário de Governança e Desenvolvimento Integrado, Germano Junges fez uma série de apontamentos que serão entregues as empresas responsáveis pela construção do Ginásio. O titular da pasta, percebeu ainda que em alguns pontos o material não condiz com o necessário para garantir a segurança e qualidade do espaço. “Vamos analisar todos os materiais que foram utilizados para ver se tem a qualidade prevista. Faremos um minucioso trabalho de reavaliação do Ginásio entregue à comunidade, pois a Prefeitura terá que prestar contas ao Governo Federal”, explica.

Publicidade

Caso hajam inconsistências no material utilizado e no projeto inicial, as empresas serão notificadas para que o mais breve possível façam as readequações necessárias. O Ginásio teve suas obras iniciadas em 2012 com objetivo de receber uma seleção para Copa do Mundo de 2014. No entanto, teve sua construção atrasada em decorrência de sucessivos problemas envolvendo as empresas licitadas para executar a obra, além de notificações da Controladoria Geral da União (CGU). O valor total investido na obra é de R$ 10.255.811,64, sendo R$ 5.490.000,00 provenientes de recurso federal e R$ 4.765.811,64 pagos pelo Executivo gramadense.

Publicidade

Já o secretário de Esportes, Lucas Roldo lamenta os atos de vandalismo e depredações que o Ginásio vem sofrendo. “São vidros quebrados, portas amassadas e quebradas, espaços sujos com fezes humanas, enfim, precisamos é lamentar que um espaço construído para ser utilizado pela nossa comunidade seja alvo de tamanhas barbáries”, comenta. “O prefeito Nestor autorizou que providenciássemos medidas de segurança para garantir que novas depredações não ocorram”, finaliza. A Prefeitura vai registrar Boletim de Ocorrência para que os responsáveis pelo vandalismo sejam identificados e respondam pelos atos.

Publicidade