Entenda como fica a situação de restaurantes e hotéis com Gramado na bandeira vermelha

124
Foto: Fernanda Fauth
Publicidade

No último sábado, o governo estadual determinou que a região da Serra está na bandeira vermelha, dentro do modelo de Distanciamento Controlado. Essa medida, que inclui Gramado, inicia nesta segunda-feira, dia 15, e é válida por 15 dias, o que traz diversas restrições. O setor de restaurantes e hotéis também terão mudanças. Restaurantes, padarias e lanchonetes deixam de operar na modalidade presencial, ofertando serviços apenas por meio de tele-entrega, pegue e leve ou drive-thru. Hotéis, por sua vez, passam a operar com apenas 40% dos quartos disponíveis.

Confira abaixo o que deverá ser cumprido:

Publicidade

Restaurantes a la carte, prato feito e buffet sem autosserviço – 50% trabalhadores – Presencial restrito (exclusivo) Telentrega / Pegue e Leve / Drive-thru

Publicidade

Restaurantes de autosserviço (self-service) – Fechado

Lanchonetes e padarias – 50% trabalhadores – Presencial restrito (exclusivo) Telentrega / Pegue e Leve / Drive-thru

Hotéis e similares (geral) – 40% dos quartos

A decisão se deve ao modelo de distanciamento controlado estabelecido para as cidades e regiões do Rio Grande do Sul que estão inclusas na bandeira vermelha. Os estabelecimentos devem obedecer ao estabelecido a partir do dia 15, segunda-feira.

O Gabinete de Crise da Prefeitura de Gramado esteve reunido na tarde deste domingo para debater o impacto do decreto do Governo do Estado que classificou o município na cor vermelha, dentro do Plano de Distanciamento Controlado do RS. Depois de reunir informações das diversas secretarias que integram o Gabinete de Crise e das próprias entidades empresariais, ficou decidido que toda e qualquer decisão deve ser tomada de forma conjunta pelos municípios e entidades da Região das Hortênsias. Uma das primeiras ações neste sentido será a reunião da Associação dos Municípios – Amserra, que ocorre na manhã desta segunda-feira, dia 15, em Gramado. Paralelamente está sendo agendada uma reunião com o governador do Estado, Eduardo Leite, para sensibilizá-lo com relação ao impacto econômico desta decisão na cadeia turística. A intenção é que a Região das Hortênsias mantenha-se classificada na bandeira laranja, que é bem menos restritiva. Até não se conseguir a mudança de classificação, a orientação às empresas é que seja cumprido o decreto estadual, que se sobrepõe a todos os decretos municipais editados até agora.

Como funciona o Modelo de Distanciamento Controlado

O Modelo de Distanciamento Controlado do Rio Grande do Sul foi criado baseado em critérios de saúde e de atividade econômica, sempre priorizando a vida. Pensou-se, então, em um sistema de bandeiras, com protocolos obrigatórios e critérios específicos a serem seguidos pelos diferentes setores econômicos.

O Rio Grande do Sul foi dividido em 20 regiões, que são analisadas considerando a velocidade de propagação da Covid-19 e a capacidade de atendimento do sistema de saúde. No total, 11 indicadores (como número de novos casos, óbitos e leitos de UTI disponíveis, dentre outros) determinam a classificação das bandeiras da região.

Conforme o grau de risco em saúde, cada região recebe uma bandeira nas cores amarela, laranja, vermelha ou preta. O monitoramento é semanal, e a divulgação das bandeiras ocorre aos sábados, com validade a partir da segunda-feira seguinte. Os protocolos obrigatórios devem ser respeitados em todas as bandeiras. Além disso, cada setor econômico tem critérios específicos que variam de acordo com a bandeira.

Publicidade